A REVOLUCIONÁRIA tecnologia dos Smart Glasses! (E onde será usado..

A REVOLUCIONÁRIA tecnologia dos Smart Glasses! (E onde será usado..

1 de agosto de 2021 0 Por Tecnopolis

Tendo crescido durante os anos 90 e 2000,  eu vi muitas das ascensões tecnológicas   que hoje consideramos nostálgicas.  Dos aparelhos de rádios Mini System,   às fitas cassete gravadas na rádio pra ouvir  no walkman, o cd, o dvd e o mp3 player.

Das TVs com tela ‘meia bola’, para as telas  planas, plasma, lcd e led. Talvez o ponto mais   nostálgico pra mim, com a adolescência no início  dos anos 2000, era chegar no final de semana,   pegar meu computador e ir na casa de um amigo  onde a galera se encontrava pra jogar um corujão:   Passar a madrugada toda jogando  Age of Empires ou Counter Strike,   no tempo que internet era lenta e cara,  essa era a forma de jogar com os amigos.

Se alguém dissesse que hoje viveríamos  em uma era onde todas essas tecnologias   combinadas seriam carregadas no nosso  bolso, provavelmente eu não acreditaria,   mas é exatamente isso que os smartphones  são hoje, um mini computador, muito mais   poderoso que os trambolhos que tínhamos naquela  época.

Não sobrou nem pra enciclopédia Barsa. Mas mesmo que a tecnologia tenha  evoluído muito, ela não estagnou,   e continua evoluindo mais e ainda mais rápido,  mesmo que você não perceba. Embora ter um poder   absurdo em nossas mãos na velocidade de um  simples desbloqueio de tela da sua digital,   às vezes ter que tirar o celular do bolso  pode ser parecer um problema, , afinal,um   monte de funções básicas poderiam ser  acessadas de forma mais simples e rápida.

Esse é o princípio do wearables, ou tecnologia  vestível, no qual talvez o mais comum hoje sejam   os Smartwatches, que te dão muitas informações  do seu celular com fácil acesso, além de uma   série de outras informações que o acessório  envia pro seu celular, como atividade física,   batimentos, como foi seu sono entre outros.

É ai que entra os Smart Glasses, a próxima   grande tecnologia que pode não só te dar acesso  a informações simples no seu campo de visão,   mas também te mostrar em tempo real informações  que podem te auxiliar no seu trabalho,   nos estudos ou até corrigir problemas de visão.

É  exatamente sobre isso que vamos falar nesse vídeo.  Já pensou em criar um aplicativo pra  celular ou web sem precisar escrever   código ou pagar alguém? Então confere a  aula gratuita no primeiro link da descrição.

Fala galera, aqui é o Tales do Canal Elementar  e se você é novo por aqui, nós falamos sobre   economia , negócios e empreendedorismo, se você  curte esse tipo de conteúdo, ativa o sininho de   notificações e considera se tornar membro, pra  nos apoiar a produzir mais vídeos como esse.

Os Smart Glasses são óculos equipados com  tecnologias semelhantes às que são encontradas   em nossos smartphones. Entre as principais  funções de um óculos inteligente estão:   tirar fotos, gravar vídeos, ler notificações  de mensagens, indicar o caminho para destinos   desconhecidos e chamar um Uber.

Essas parecem  funcionalidades simples e que talvez não adicionem   muito para o futuro, bom, mas esse é só o começo. Várias marcas estão investindo nessa tecnologia,   mas talvez a mais reconhecida atualmente seja  a Apple.

Desde o fracasso do Google com seu   protótipo em 2014, nunca foi vista uma expectativa  tão grande por uma tecnologia. O público espera   ansiosamente o anúncio dos possíveis Apple  Glasses que até agora não passam de especulação.

Segundo o portal TechRadar, uma fonte sugere  que o óculos inteligente da Apple deverá chegar   ao mercado por US$499, o que representa um  terço do preço apresentado pelo protótipo   do Google.

O modelo não deve vir com uma  câmera acoplada, por conta de polêmicas   recentes envolvendo invasão de privacidade. Mas,  promete chegar equipado com um scanner LiDAR,   mesmo sensor presente no iPhone 12, que é capaz de  mapear ambientes e medir a distância de objetos.

Acontece que, desde que os rumores  tomaram maior proporção em 2020,   a Apple não falou oficialmente sobre  o lançamento dos óculos. Então,   muitas das informações que circulam atualmente  na mídia vieram de vazamentos e especulações.

Mas pra entender porque essa tecnologia é  tão importante e quem mais está investindo   pesado nela, primeiro precisamos  entender onde tudo isso começou. A história dos Smart Glasses começou nos anos  60.

Quando em 1968, o cientista Ivan Sutherland   da Universidade de Utah, com a ajuda de seu  aluno Bob Sproull, criou um dispositivo chamado   “The Sword of Damocles”, que foi considerado  o precursor da tecnologia de óculos digitais   e realidade virtual.

O aparelho ficava preso na  cabeça do usuário e rastreava seus movimentos,   mudando o que era exibido de acordo  com o lugar para onde era apontado.  Anos mais tarde, entre 1980 e 1990, Steve Mann,  professor do departamento de Engenharia Elétrica   e de Computação da Universidade de Toronto,  esteve trabalhando em uma tecnologia vestível,   chamada WearComp, que consistia na combinação  de vários dispositivos para criar uma   experiência visual.

E, a partir disso, ficou  conhecido como o pai dos óculos inteligentes.  Foi essa tecnologia que abriu as portas para o  Google, que depois de manter sigilo por 6 anos,   lançou o protótipo de seu óculos inteligente  em 2013, chamado “Google Glass”.

O aparelho   gerou muita euforia e, de início, foi  distribuído apenas para um público   restrito de desenvolvedores e jornalistas. Mas, assim que foi disponibilizado para o   público geral em 2014, a empresa percebeu  diversas falhas em seu produto e na forma   como ele foi apresentado.

Segundo o portal  de notícias Inc., o óculos chegou ao mercado   Norte Americano por US$1.500. E foi considerada  a pior invenção tecnológica dos últimos tempos.  O aparelho, apesar de apresentar algumas  funções interessantes, como enviar mensagens   e mostrar as horas, ainda precisava passar  por diversos testes e desagradou os usuários   em muitos aspectos.

A usabilidade ruim foi  um deles, visto que era necessário jogar um   pouco a cabeça para trás e dizer “Ok Glass”,  logo em seguida, para ativar algum comando.  A empresa também recebeu muitas críticas por causa  da câmera acoplada ao óculos, que vinha com a   função de tirar fotos e gravar vídeos.

Por conta  dela, o aparelho foi considerado uma ameaça à   privacidade. Visto que o usuário poderia registrar  a imagem de alguém sem que a pessoa soubesse ou o   próprio google gravar alguma coisa indesejada.

O preço também não foi nada atraente,   levando em consideração que a tecnologia  não tinha muito o que oferecer para o dia   a dia do usuário. Então, quase um ano depois  de começar a ser vendido para o público geral,   o Google Glass saiu de linha.

Segundo o The New  York Times, alguns ex-funcionários do Google   que estiveram envolvidos com o desenvolvimento  do produto alegaram que a história não deveria   ter acabado assim, mas que toda a comoção para  o lançamento também não deveria ter acontecido.

Algum tempo depois, pensando em agregar  valor ao produto, a fabricante resolveu   incorporar funções no óculos, para que ele fosse  utilizado no âmbito empresarial. A tecnologia   que recebeu o nome de Glass Enterprise  teve sua segunda versão lançada em 2019.

Imagine você entrando em uma empresa nova,  onde você foi contratado para a manutenção   de máquinas que nunca viu antes. No cenário  convencional você teria que passar por um   extenso treinamento, ter o manual de  manutenção dos equipamentos perto e um   especialista a uma ligação de distância.

O Glass Enterprise facilita tudo isso. Com os óculos equipados você  pode facilmente acessar o manual,   instruções sobre peças específicas  ou até ligar para um especialista,   e ele poder ver exatamente a mesma coisa que você  está vendo, sem precisar usar as mãos pra isso.

Em uma consulta médica, o médico consegue  ter acesso a todo seu histórico além de   conseguir registrar tudo em tempo real,  ao mesmo tempo que faz o atendimento. Agora, será que a Apple vai  conseguir fazer algo superior,   ou trazer algo realmente incrível para  pessoas como eu e você usarmos no dia a dia? Apesar de ainda não existirem informações  oficiais sobre a data de lançamento ou até mesmo   o desenvolvimento de um protótipo, já existem  muitas especulações sobre o tema.

Segundo o   portal de notícias CNET, uma previsão do analista  Ming-Chi Kuo diz que os óculos inteligentes da   fabricante devem chegar em meados de 2025. Segundo matéria da CNBC, embora a tecnologia   já esteja pronta, ela conta com uma série  de pontos de melhora, tanto na parte técnica   quanto na sua usabilidade no dia a dia.

Na parte  técnica, tamanho, design e bateria são aspectos   a melhorar para fazer parte do dia a dia. Nos  quesitos de funcionamento, apenas ler mensagens,   ter informações de região com mapas ou usar  pra chamar um uber não são funcionalidades   relevantes o suficientes.

Mas que a expectativa  é que melhore todo o sistema de compra online,   desde ajudar a decidir qual roupa ficaria melhor  em você até se os móveis caberiam na sua casa. A   matéria sugere inclusive a capacidade dos óculos  um dia substituírem as telas como um todo.

Será que um dia eu vou poder deixar de lado os  monitores que eu uso pra editar esse vídeos e ter   tudo através do óculos, simulando uma tela gigante  na minha frente? Ou talvez até simulando um cinema   em casa? Comenta o que você acha aqui embaixo.

Segundo o site Tom’s Guide, recentemente uma   patente revelou que a Apple está trabalhando  no desenvolvimento de anéis inteligentes,   capazes de detectar gestos, que poderiam se  conectar com outros dispositivos e lhes informar   a posição das mãos dos usuários.

Essa tecnologia  poderia integrar e melhorar os óculos inteligentes   da fabricante. Ainda segundo a matéria, o Apple  Glasses poderia descartar a necessidade de uso   de lentes de precisão, conseguindo corrigir  digitalmente qualquer problema de visão,   mas apontou que esse tipo de tecnologia não  deve ser lançado na primeira versão do aparelho.

Já imaginou se ao invés de ter que ir ao médico  fazer um óculos novo, você tivesse um que se   ajustasse a sua visão? Confesso que quando eu vi  isso durante a pesquisa eu achei completamente   bizarro e não acreditei muito, mas se pensar  que tem uns doidos ai querendo colonizar   Marte e minerar asteroides, um óculos que se  ajusta a problemas de visão se torna bem mais   fácil de acreditar.

Me conta nos comentários,  você acha que eles vão conseguir fazer isso?  Ainda não temos muitas informações sobre o  dispositivo da Apple, mas provavelmente vai   ser algo com design simples e minimalista, ao  invés um modelo grande com aspectos futuristas,   que acaba afugentando a maioria dos consumidores.

Agora, onde veremos os Smart Glasses serem usados? É fato que com tanta função incorporada existem  diversos lugares onde os Apple Glasses seriam   bem-vindos. Então, as possibilidades de  aplicação são variadas, assim como para os   Smart Glasses de modo geral.

Tanto no dia a dia  quanto em áreas específicas, essa tecnologia tem   bastante potencial para funcionar. O site Smart  Glasses Hub cita algumas dessas funcionalidades.  Segundo eles, os óculos inteligentes são  úteis em museus, por exemplo.

Já imaginou   poder visualizar todas as informações sobre  determinada obra na lente de seus óculos,   quando tiver alguma curiosidade sobre ela? É  muito mais prático do que tirar o celular do   bolso e fazer uma busca no Google, e certamente  mais barato que pagar um especialista em um tour.

A funcionalidade já havia sido apresentada pelo  Google Glass em 2014, mas era ainda muito simples. O uso dos Smart Glasses na medicina também é  promissor. Durante uma cirurgia a tecnologia   de realidade aumentada pode permitir que o  cirurgião tenha uma visão melhor do corpo   do paciente, através de imagens digitais  sobrepostas.

Com os óculos digitais também   é possível transmitir ao vivo uma cirurgia  e conseguir auxílio de médicos ou cirurgiões   que não estão fisicamente presentes na sala. Além disso, eles podem ser muito bem utilizados   em tradução e legendagem simultâneas  de apresentações ao vivo, como uma   peça de teatro ou uma apresentação de negócios.

Outro uso bastante interessante para os óculos   inteligentes é durante as compras. Tanto com  a tecnologia de Realidade Aumantada quanto de   Realidade Virtual é possível buscar mais  informações sobre determinado produto sem   precisar pegar no celular.

Quer ver como os móveis  ficariam na sua casa? Sem problemas. Quer ver com   mais detalhes um produto online? Também é possivel Mas esse mercado não é composto só de Apple   e Google, muitas outras empresas estão  desenvolvendo essa tecnologia para pegar   uma fatia desse mercado, e potencializar  o crescimento e adoção da tecnologia.

Uma das empresas que aposta nesse mercado  é o Facebook, que começou a desenvolver sua   solução em 2017 e trabalha junto com  a Luxottica, empresa-mãe do Ray-Ban,   para a fabricação dos óculos.

Segundo  o Business Insider, essa tecnologia   pode vir equipada com reconhecimento facial. A Amazon é outro player importante. O Echo Frames,   óculos inteligente da fabricante, teve sua  primeira versão lançada em 2019 por US$180.

Então,   mantendo seu principal diferencial, que é a  integração com a assistente virtual Alexa,   o dispositivo ganhou uma nova versão em 2020 com  novas funcionalidades, como ajuste de áudio de   acordo com os ruídos do ambiente e perfil de  audição do usuário.

Hoje em dia a tecnologia   também conta com suporte a mensagens em grupo  e calendários e trabalha no valor de US$250.  Ainda em 2019 a North lançou o Focals 1.0,  óculos inteligente feito sob medida para o   usuário e manipulado por um anel que acompanha  o objeto.

A fabricante estava tendo dificuldades   para financiar o Focals 2.0 quando foi comprada  pela Google, que depois de ter fracassado com   o protótipo do Google Glass e entrado no mundo  corporativo com o Glass Enterprise viu na empresa   uma chance de unir esforços para o desenvolvimento  de hardwares e investimento em computação   ambiental.

O Focals 2.0 foi cancelado, mas a  parceria das duas promete render bons frutos.  A Microsoft entrou no mercado de óculos  inteligentes pouco tempo depois do   Google, por isso pôde aprender com os erros do  concorrente.

A primeira versão do Hololens, como   sua tecnologia é chamada, foi lançada em 2015,  apenas para uso empresarial. A fabricante percebeu   que o produto não seria atraente, nem teria  utilidade para o público geral.

Visto que ele,   entre outras coisas, ajuda no conserto de máquinas  desconhecidas, cirurgias complicadas e possibilita   reuniões à distância com fornecedores, parceiros  ou funcionários. E, sua versão mais recente,   o Hololens 2, custa US$3.

500. Companhias como a Vuzix, GWD,   Toshiba e Epson também estão movimentando o  mercado de óculos inteligentes. Algumas pensando   em aplicações apenas corporativas, enquanto outras  estão abraçando de vez o desafio de incorporar a   tecnologia no dia a dia do usuário.

Agora independente da empresa,   provavelmente as primeiras versões serão simples,  com poucas funcionalidades realmente impactantes   na vida de nós como consumidores. Mas uma  coisa eu te garanto, essa tecnologia tem o   potencial de transformar completamente nossas  vidas, desde coisas simples do dia a dia,   até todo o sistema de educação e a organização  de trabalho e mão de obra, e aqui está o porque: Imagina aqui comigo, seu carro faz  um barulho estranho, você com seu   óculos abre o capô.

Rapidamente seu  óculos escaneia se tem algo errado,   se algo está vibrando fora do padrão, se algo  está superaquecendo ali ou qualquer outra   avaria no funcionamento. Com o problema  detectado, ele te mostra o que fazer.

Ou então empregos que hoje requerem  anos de ensino, podem ser facilmente   realizados por pessoas apenas com um  treinamento básico, como operar máquinas,   executar reparos entre uma série de outras coisas  que ainda é até difícil de imaginar.

Além disso,   tem toda a questão da evolução  da inteligência artificial,   a chegada do 5G, BIG data e outras coisas que  devem impulsionar ainda mais essa tecnologia. Agora, quando toda essa tecnologia vai estar  disposta pra nós só o tempo dirá, eu não tenho   expectativa de ver algo revolucionário antes de  2025, talvez nem antes de 2030.

Agora enquanto   esperamos o desenrolar dessas tecnologias,  podemos aproveitar as tecnologias que já estão   aqui pra construir uma vida melhor pra nós,  como é o caso da tecnologia de desenvolvimento   de apps web e mobile chamada de no code,  ou sem código, que te permite desenvolver   aplicativos sem conhecimento prévio e  sem precisar digitar uma linha de código,   possibilitando que você desenvolva apps  pra sua empresa ou de terceiros, que não   teriam capacidade de contratar programadores pra  desenvolver algo específico pra necessidade deles.

Se você quiser conhecer mais sobre  essa tecnologia, como funciona e o   grande potencial dela, aqui na descrição eu  deixei um link de uma aula gratuita do Renato,   lá da Comunidade Sem Codar.

Só rolar pra baixo e  assistir acessando o primeiro link, é de graça. E ai, o que você acha da tecnologia dos Smart  Glasses? Podem revolucionar nossas vidas,   seja no dia a dia ou no trabalho, ou  são só mais uma promessa que no fim   vão nos decepcionar? Comenta aqui embaixo na  descrição e vê o que as outras pessoas acham.

Não esquece de compartilhar esse vídeo com um  amigo, ou então lá nos stories do instagram,   me marca lá que eu te compartilho em  @canal.elementar. Aqui na tela tem   dois outros vídeos, escolhe um deles  que eu te vejo lá em alguns segundos,   por esse vídeo é isso, um  grande abraço e até mais.